O Coronavírus é o Melhor Teste de Stress do seu Acesso Remoto

Resumo

  • Basicamente todas as empresas estão migrando seus colaboradores para o trabalho remoto;
  • Muitos colaboradores precisam usar computadores pessoais para trabalhar remotamente, colocando a segurança pessoal e da empresa em risco;
  • O despreparo das empresas em frente a necessidade do trabalho remoto pode causar inúmeros prejuízos pela falta de informação e medidas de segurança adequadas.

O despreparo das empresas em frente a necessidade do trabalho remoto pode causar inúmeros prejuízos pela falta de informação e medidas de segurança adequadas.

Embora algumas destas empresas possam ter planos sólidos de recuperação de desastres em vigor, poucas provavelmente estavam equipadas para uma mudança em larga escala como esta, que pode se estender muito além das semanas.

É um enorme teste de estresse não planejado para o acesso remoto. Essa situação criou uma imensa e rápida demanda por ferramentas seguras de acesso remoto, devido à necessidade de proteger além da saúde e segurança dos funcionários, mas também a continuidade dos negócios.

Com exceção de uma pequena fatia de empresas que já operavam 100% remotas ou pelo menos adotaram opções de acesso remoto para uma parte significativa de sua força de trabalho, a maioria das organizações não tem a infraestrutura para esta quantidade de acessos. Essa mudança de modelo desafia a estrutura de redes, aplicativos e serviços.

Além disso há as implicações de segurança cibernética. Esses funcionários “recém-remotos têm as ferramentas adequadas para o trabalho a distância ou são obrigados a adaptar rapidamente soluções para manter a produtividade?

Eles têm laptops provisionados para o trabalho ou são forçados a usar laptops/dispositivos pessoais para atividades relacionadas ao trabalho?

A mudança em massa para tantos aplicativos e dispositivos fora do controle de TI cria riscos consideráveis. Na maioria das organizações, os laptops pessoais usados para o acesso remoto provavelmente não possuem as proteções e políticas de software e recursos de segurança que protegem os dispositivos da empresa adequadamente. Muitos funcionários agora são forçados a usar seus próprios dispositivos com VPN’s ou outras tecnologias de acesso remoto. Esta situação representa uma grande ameaça quando eles estão conectados à rede corporativa.

E enquanto as empresas estão lutando para manter a normalidade enquanto tomam precauções, as ameaças cibernéticas não pararam e ainda encontraram uma oportunidade na exploração da crise. A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu vários relatórios relatando que hackers estão aproveitando a situação para realizar golpes relacionados ao Coronavírus. Às vezes, eles se passam por parceiros de negócios ou instituições públicas em um esforço para “pescar” usuários quando eles abrem mensagens infectadas com malware.

Então como as organizações e seus trabalhadores podem permanecer o mais produtivos possível durante esta crise, sem criar grandes riscos à segurança durante o trabalho remoto?

Organizações despreparadas “forçadas a trabalharem remotamente” podem se sentir compelidas a afrouxar amplamente as políticas de segurança para permitir a produtividade. Obviamente esta não é uma situação ideal, especialmente para as empresas globais. Afrouxar os padrões para apenas um usuário ou dispositivo pode comprometer a privacidade e a segurança dos dados em toda a rede global.

Acompanhe nossos próximos artigos, trataremos das recomendações e cenários de segurança adequados para este novo modelo de trabalho.


Artigos Relacionados

Compartilhe:
Bitnami